top of page
Buscar
  • Foto do escritorAlexandre Netto

Administração de medicamentos oculares por Oftalmologistas: Guia do paciente.

Atualizado: 17 de mai. de 2023


A administração de medicamentos oculares é fundamental no tratamento de várias condições oftalmológicas.


Dependendo da doença e do medicamento em questão, os oftalmologistas podem utilizar diferentes vias de administração para garantir a eficácia do tratamento e o bem-estar do paciente. 


Confira as principais vias de administração de fármacos oculares e explicaremos como cada uma delas funciona.



1. Colírio


Os colírios são a forma mais comum de administração de medicamentos oculares. Eles são líquidos aplicados diretamente na superfície do olho, na forma de gotas. Os colírios são usados para tratar uma variedade de condições, como conjuntivite, glaucoma, olho seco e alergias oculares.


2. Pomada Oftalmica


As pomadas oculares são medicamentos semi sólidos aplicados diretamente na superfície do olho, geralmente na parte interna da pálpebra inferior. Elas são úteis para tratar infecções, inflamações e outras condições que requerem uma ação prolongada do medicamento, pois permanecem mais tempo em contato com a superfície ocular do que os colírios.


3. Via oral


Alguns medicamentos oculares podem ser administrados por via oral, na forma de comprimidos ou cápsulas. Essa via de administração pode ser usada para tratar condições que afetam todo o organismo, como uveítes, ou quando se deseja alcançar uma concentração sistêmica do medicamento para tratar condições oculares específicas.


4. Via endovenosa


A administração endovenosa de medicamentos oculares, ou seja, diretamente na veia, é utilizada em casos específicos, como na terapia fotodinâmica para tratar a degeneração macular relacionada à idade (DMRI) úmida. Nesse caso, a verteporfina é injetada na veia e, em seguida, ativada por uma luz laser no local afetado.


5. Injeção intravítrea


As injeções intravítreas são uma forma de administração de medicamentos diretamente no espaço vítreo do olho, utilizando uma agulha fina. Essa via de administração é usada para tratar condições como DMRI úmida, edema macular diabético e oclusões venosas da retina, com medicamentos como Avastin, Lucentis e Eylea.


6. Laser


O laser é uma ferramenta que pode ser usada tanto para fins terapêuticos quanto para a administração de medicamentos oculares. Em alguns casos, o laser é utilizado para facilitar a penetração de medicamentos no olho ou para ativar substâncias medicamentosas, como na terapia fotodinâmica.


7. Luz pulsada


A luz pulsada, como a utilizada na terapia Valeda, é uma tecnologia que emprega luzes de diferentes comprimentos de onda para melhorar a saúde das células da retina e do epitélio pigmentar da retina (EPR), que são afetadas por doenças como a DMRI. 


Embora não seja um método direto de administração de medicamentos, a terapia de luz pulsada pode ser uma parte importante do tratamento de condições oculares específicas, melhorando a função visual e retardando a progressão da doença.


Informações gerais:


Os oftalmologistas dispõem de várias vias de administração de medicamentos oculares para tratar diversas condições oftalmológicas.


A escolha da via mais apropriada depende da doença em questão, do tipo de medicamento e das necessidades específicas do paciente. 


O conhecimento sobre essas vias de administração pode ajudar os pacientes a entender melhor seus tratamentos e a ter uma comunicação mais efetiva com seus oftalmologistas.


Se você ou alguém que você conhece está em tratamento para uma condição ocular, é importante discutir as opções de tratamento com seu oftalmologista e seguir suas recomendações. 


A adesão ao tratamento prescrito e a compreensão das diferentes vias de administração são fundamentais para garantir a eficácia do tratamento e a preservação da saúde ocular.

534 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page