top of page
Buscar
  • Foto do escritorAlexandre Netto

Conheça os principais biomarcadores do OCT para retinopatia diabética: Uma lista para entender essa tecnologia



A retinopatia diabética é uma complicação ocular comum em pessoas com diabetes, podendo levar à perda de visão se não tratada adequadamente. A tomografia de coerência óptica (OCT) é uma ferramenta importante no diagnóstico e acompanhamento dessa condição.


Neste post, apresentaremos uma lista com os principais biomarcadores do OCT para retinopatia diabética. Acompanhe!


Espessamento retiniano e edema macular diabético


O espessamento retiniano e o edema macular diabético são sinais de acúmulo de líquido na retina, o que pode levar à perda de visão. A identificação dessas alterações no OCT auxilia no diagnóstico e tratamento da retinopatia diabética.


Exsudatos duros


Os exsudatos duros são depósitos lipídicos que se formam na retina como resultado do vazamento de vasos sanguíneos danificados. A presença desses exsudatos no OCT indica a progressão da retinopatia diabética e pode ajudar a determinar o estágio da doença.


Hemorragias intrarretinianas


As hemorragias intrarretinianas ocorrem quando os vasos sanguíneos da retina se rompem, causando sangramento dentro do tecido retiniano. A detecção dessas hemorragias no OCT é importante para o diagnóstico e tratamento da retinopatia diabética.


Microaneurismas


Os microaneurismas são pequenas dilatações dos vasos sanguíneos da retina e são um dos primeiros sinais de retinopatia diabética. A identificação dessas alterações no OCT pode ajudar no diagnóstico precoce da doença.


Neovascularização

  1. A neovascularização é a formação de novos vasos sanguíneos na retina, o que pode levar à proliferação da retinopatia diabética. A detecção desses vasos no OCT é crucial para o diagnóstico e tratamento adequado da doença.


Descolamento vítreo posterior


O descolamento vítreo posterior ocorre quando o vítreo, uma substância gelatinosa que preenche o olho, se separa da retina. Essa alteração pode ser vista no OCT e pode indicar a progressão da retinopatia diabética para estágios mais avançados.


A tecnologia do OCT e a identificação de seus biomarcadores são fundamentais para o diagnóstico e acompanhamento da retinopatia diabética.


Conhecer esses biomarcadores é essencial para compreender a evolução da doença e garantir um tratamento adequado.


Consulte seu oftalmologista regularmente e mantenha a saúde dos seus olhos em dia, especialmente se você tem diabetes.

40 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page