top of page
Buscar
  • Foto do escritorAlexandre Netto

Fluoresceína na Oftalmologia: conheça suas diversas aplicações


A fluoresceína é um corante amplamente utilizado na oftalmologia para diagnosticar e avaliar diversas condições oculares. Além de ser um método seguro e eficaz, a fluoresceína oferece aos médicos a possibilidade de visualizar o olho de forma detalhada e em tempo real.


Neste artigo, abordaremos os principais usos da fluoresceína na oftalmologia e como ela contribui para diagnósticos mais precisos e tratamentos eficazes.


Angiografia com fluoresceína


A angiografia com fluoresceína é um exame que permite avaliar a circulação sanguínea na retina e na coroide. O corante é injetado na corrente sanguínea do paciente e, em seguida, imagens são capturadas com uma câmera especial. Essa técnica é essencial para diagnosticar e monitorar doenças como a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), oclusões vasculares e retinopatia diabética.


Teste de estanqueidade epitelial


A fluoresceína também pode ser usada para avaliar a integridade do epitélio da córnea, a camada mais externa do olho. Nesse teste, a solução de fluoresceína é instilada na superfície ocular e, em seguida, o oftalmologista examina o olho sob uma luz azul. Áreas danificadas ou irregulares do epitélio aparecerão em verde, auxiliando no diagnóstico de abrasões, úlceras e outras lesões corneanas.


Teste de lacrimejamento


O teste de lacrimejamento com fluoresceína permite medir a produção de lágrimas e avaliar a eficácia do sistema de drenagem lacrimal. Nesse exame, uma tira de papel impregnada com fluoresceína é colocada na conjuntiva inferior do olho. O oftalmologista mede o tempo que leva para as lágrimas se espalharem pela tira, ajudando a diagnosticar condições como olho seco e obstruções no sistema lacrimal.


Teste de Seidel


O teste de Seidel é realizado para identificar vazamentos de humor aquoso, o líquido que preenche a câmara anterior do olho, através de feridas ou úlceras na córnea. Ao instilar a fluoresceína na superfície ocular e examinar o olho com uma lâmpada de fenda, o oftalmologista pode detectar o vazamento quando o corante se mistura com o humor aquoso, formando uma corrente de aspecto esverdeado.


A fluoresceína é uma ferramenta valiosa na oftalmologia, com aplicações que vão desde o diagnóstico de doenças retinianas até a identificação de lesões corneanas e problemas no sistema lacrimal.


Seu uso permite aos oftalmologistas obter informações detalhadas sobre a saúde ocular dos pacientes, possibilitando tratamentos mais eficazes e melhorando a qualidade de vida dos pacientes com problemas oculares.

82 visualizações0 comentário
bottom of page