top of page
Buscar
  • Foto do escritorAlexandre Netto

Indicações, riscos e benefícios da cirurgia de transplante autólogo de conjuntiva

Atualizado: 17 de mai. de 2023


A cirurgia de transplante autólogo de conjuntiva é um procedimento oftalmológico utilizado para tratar várias condições que afetam a superfície ocular e a conjuntiva, que é a membrana mucosa transparente que reveste o interior das pálpebras e a parte branca do olho (esclera). 


O transplante autólogo envolve a transferência de tecido conjuntival saudável do próprio paciente de uma área do olho para outra, sem a necessidade de um doador externo.


Indicações para o transplante autólogo de conjuntiva incluem:


Pterígio: Um crescimento anormal de tecido fibrovascular na superfície da córnea, geralmente causado pela exposição excessiva à luz solar e ao vento. O transplante autólogo de conjuntiva pode ser usado para preencher o defeito deixado após a remoção cirúrgica do pterígio.


Simblefaron: Uma condição em que a conjuntiva se funde anormalmente com a pálpebra, geralmente resultante de queimaduras químicas, térmicas ou devido a doenças autoimunes, como o pênfigo. O transplante autólogo de conjuntiva pode ser utilizado para reconstruir a superfície ocular e separar a pálpebra da conjuntiva afetada.


Úlceras da córnea não cicatrizantes: Em casos de úlceras da córnea que não cicatrizam, o transplante autólogo de conjuntiva pode ser usado para fornecer suporte e cobertura para a área afetada, facilitando a cicatrização e prevenindo complicações adicionais.


Defeitos conjuntivais após cirurgia ocular ou trauma: O transplante autólogo de conjuntiva pode ser usado para reparar defeitos na conjuntiva causados por cirurgia ocular prévia ou trauma.


A cirurgia de transplante autólogo de conjuntiva geralmente é realizada sob anestesia local e sedação leve.


Durante o procedimento, o cirurgião oftalmologista remove cuidadosamente uma porção saudável da conjuntiva de um local doador, geralmente do olho não afetado ou de uma área menos crítica do olho afetado. O tecido doador é então suturado ou colado no local do defeito conjuntival.


Os benefícios do transplante autólogo de conjuntiva incluem menor risco de rejeição do enxerto, uma vez que o tecido é obtido do próprio paciente, e a possibilidade de uma recuperação mais rápida e menos complicações pós-operatórias. 


No entanto, como em qualquer cirurgia, existem riscos e potenciais complicações, como infecção, sangramento e cicatrização anormal. 


O oftalmologista discutirá os riscos e benefícios do procedimento com o paciente antes de realizar a cirurgia.

175 visualizações0 comentário
bottom of page