top of page
Buscar
  • Foto do escritorAlexandre Netto

Tratamento do Edema Macular Secundário à Obstrução Venosa com Eylea


Saiba mais sobre o tratamento do edema macular secundário à obstrução venosa com Eylea (aflibercepte), um medicamento eficaz na redução do inchaço e na melhora da visão.


O edema macular é um acúmulo de líquido na mácula, que é a parte central da retina, responsável pela visão detalhada.


Quando esse edema ocorre devido a uma obstrução venosa na retina, é chamado de edema macular secundário à obstrução venosa. Uma das opções de tratamento para essa condição é o uso de Eylea (aflibercepte), um medicamento que tem mostrado resultados promissores na redução do inchaço e na melhora da visão em pacientes afetados.


Entenda o tratamento do edema macular secundário à obstrução venosa com Eylea.


O que é Eylea (aflibercepte)?


Eylea é uma droga antiangiogênica, também conhecida como inibidor do fator de crescimento endotelial vascular (VEGF). O VEGF é uma proteína que promove o crescimento de novos vasos sanguíneos, especialmente em situações de baixa oxigenação. No caso do edema macular secundário à obstrução venosa, o VEGF é liberado em excesso, levando ao crescimento anormal de vasos sanguíneos e ao aumento da permeabilidade vascular. Isso resulta no acúmulo de líquido na mácula e, consequentemente, na redução da visão. Eylea (aflibercepte) age bloqueando a ação do VEGF, diminuindo o inchaço e melhorando a função visual.


Tratamento com Eylea


O tratamento com Eylea geralmente começa com injeções mensais de 2 mg de aflibercepte no olho afetado, sob anestesia local. O medicamento é administrado diretamente na cavidade vítrea, que é a parte preenchida por gel no interior do olho. O número de injeções e a frequência do tratamento podem variar de acordo com a resposta do paciente e a gravidade da condição.


Após as primeiras injeções, o médico oftalmologista pode decidir ajustar a frequência do tratamento para uma injeção a cada dois meses, dependendo da evolução clínica do paciente. É importante que o paciente siga rigorosamente o plano de tratamento prescrito pelo médico e compareça a todas as consultas de acompanhamento para avaliar a eficácia do tratamento e realizar ajustes, se necessário.


Efeitos colaterais e precauções


Embora o tratamento com Eylea seja geralmente seguro, alguns pacientes podem experimentar efeitos colaterais, como dor ocular, vermelhidão, inchaço, sangramento e alterações temporárias na pressão intraocular. Em casos raros, podem ocorrer complicações mais graves, como infecção ocular, descolamento de retina e catarata traumática.


Para minimizar os riscos, é importante seguir as orientações do médico oftalmologista e tomar todas as precauções necessárias durante o tratamento. Caso experimente efeitos colaterais persistentes ou graves, entre em contato com o médico imediatamente.


O tratamento do edema macular secundário à obstrução venosa com Eylea (aflibercepte) tem demonstrado resultados promissores na redução do inchaço e na melhora da função visual em pacientes afetados. Ao seguir as orientações do médico oftalmologista e realizar o tratamento conforme prescrito, os pacientes têm uma maior chance de obter uma melhora significativa na visão e na qualidade de vida. No entanto, é fundamental estar ciente dos possíveis efeitos colaterais e precauções necessárias durante o tratamento, e manter uma comunicação aberta com o médico para garantir o melhor resultado possível.

143 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page